×

Publicidade

Brasil

Polícia indicia mãe de Nego do Borel por agressão à enteada

Relatório da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima cita o depoimento da menina e o laudo da perícia, que aponta arranhões, chineladas e tapas.

A Polícia Civil do RJ indiciou Roseli Viana Gomes, mãe do cantor Nego do Borel, pela suspeita de lesão corporal contra a enteada, uma menina de 8 anos. O pai da garota, Alex Alves Gomes, também foi indiciado por suspeita de maus-tratos. Roseli nega as acusações.

As supostas agressões foram registradas pela mãe biológica na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, no Centro do Rio, no dia 24 de maio.

O Bom Dia Rio teve acesso a um relatório da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) que detalha a investigação.

Continua após a Publicidade

O documento da Dcav resume os depoimentos tomados até então e apresenta o laudo do corpo de delito feito na criança.

“Fez constar o perito que a menina seria vítima de diversas agressões com arranhões, chineladas e tapas, praticadas por diversas vezes, e que a última agressão teria ocorrido no dia 17”, afirma a Dcav.

Na descrição, o perito apontou “duas escoriações lineares de dimensões castanhas médias localizadas nas regiões escapular esquerda e antebraço esquerdo” praticadas por ação contundente.

O que disse a criança

A enteada foi ouvida por policiais especializados e detalhou episódios de agressão. Ela disse que a madrasta “errou o xampu”, atingindo-lhe os olhos, e que as agressões “ocorrem com chinelo e com a mão”.

Segundo a menina, na frente de Alex, Roseli fingiria gostar dela. A madrasta teria dito para não contar sobre as agressões ao pai. A garota, no entanto, relatou que contou sobre as agressões para a mãe, que reclamou com o ex.

“Em razão disso, ao retornar, Alex teria batido de chinelo na menor e a colocado de castigo, inclusive sendo obrigada a ficar em posições, de pé, e de joelhos, no cumprimento do castigo”, diz o relatório.

O que disse Roseli

Em depoimento, Roseli disse que convive com a enteada desde pequena e que a trata como uma filha. Negou atritos com o companheiro, “além do normal do convívio de um casal”.

A madrasta negou também ter agredido a menor ou praticado maus-tratos, mas narrou um episódio onde, “em razão da negativa da criança de entrar no chuveiro, teria desferido um tapa nas nádegas”.

“Quanto às lesões constatadas na menor, afirmou desconhecer sua origem e negou ter sido a autora”, diz o relatório.

Em depoimento, Alex confirmou a versão de Roseli. O pai disse que não percebeu as lesões na filha.

Defesa nas redes sociais

Antes de ser indiciada, Roseli já tinha usado as redes sociais para negar as acusações.

“Não se preocupem com os maldosos, caluniadores, falsos e mentirosos. Geralmente eles andam em bandos e reúnem-se à mesa para compartilhar vidas alheias servidas em pratos vazios. Se seu coração e sua alma estiverem livres e em paz, certamente eles estão muito distantes de poder interferir em sua sagrada ceia. Eu estou em paz, sei da minha índole. Nunca encostei um dedo no meu filho, Leno Maycon Viana. Imagina no filho dos outros”, escreveu.

Fonte: G1.com

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.