×

Publicidade

Coluna da Célia Lima

9 dicas para manter a qualidade da sua saúde mental

Para manter a saúde mental em tempos de pandemias, o SUPERA separou as principais dicas para passar por esse momento com bem-estar e qualidade de vida.

Momentos de epidemias globais costumam gerar sentimentos de tensão, estresse e desespero na população como um todo – é o caso que vem ocorrendo desde o estopim do novo coronavírus, doença viral que se alastrou pelo mundo todo. Essa situação pode abalar significativamente a saúde mental em todas as idades, causando um desequilíbrio nas habilidades socioemocionais.

Situações estressantes e desgastantes podem causar danos ao nosso cérebro; quando nos estressamos, acionamos uma resposta automática que o cérebro dá a toda situação difícil de enfrentar. A resposta a situações difíceis ativa uma parte do sistema nervoso que é responsável pelo controle do coração, dos pulmões, da pressão arterial e de tantas outras respostas que vão proporcionar ajustes necessários para que você tenha mais sangue nos músculos e mais oxigênio disponível para poder ter agilidade e força muscular. Nesse momento, temos a sensação de estar em perigo.

Continua após a Publicidade

Segundo a neurocientista e PhD, Dra. Suzana Herculano-Houzel, “estresse é qualquer situação que o cérebro nota que exige resposta ou preparação para lidar com ela”. E é nesse momento que é preciso ter inteligência emocional para lidar com essas situações.

“Quando detecta estresse de qualquer tipo, o cérebro se prepara para lidar com ele. O estresse que é logo resolvido vai embora e nos deixa ao menos com uma sensação de alívio, senão de satisfação. Mas se o cérebro se prepara, se arma, planeja, pensa a respeito, tenta resolver e não consegue e começa a remoer a situação do estresse que não vai embora ou até começa a conviver com ele, o estresse a longo prazo vem com ajustes hormonais, fisiológicos e mentais que, se por um lado ajudam a nos manter vivos, comem cérebro e corpo por dentro”, diz Suzana.

Quando praticamos a ginástica para o cérebro, como as neuróbicas do Método SUPERA – maior rede de escolas de ginástica para o cérebro da América Latina – ou jogos educacionais, condicionamos nosso cérebro para que ele se organize e desenvolva habilidades cognitivas e socioemocionais, ideais para manter a qualidade de vida e o bem-estar nos momentos de crise.

“A ginástica para o cérebro proporciona oportunidades adequadas para o desenvolvimento humano na interação social, na expressão afetiva, na evolução da linguagem, na experimentação de possibilidades motoras, apropriação de regras sociais e imersão no universo cultural. Esses fatores trazem experiências social de qualidade, atenuando o quadro de estresse e, consequentemente, desenvolvendo a capacidade cognitiva”, conta Solange Jacob, diretora acadêmica nacional do Método SUPERA.

A fim de mantermos nossa saúde mental, a Organização Mundial da Saúde publicou algumas orientações por essa situação com mais inteligência emocional e bem-estar – principalmente, nos momentos de quarentena e isolamento social. Além de ajudar na prevenção da doença, isso faz com que saibamos lidar com sabedoria por esse momento atípico para a maioria da população.

Conheça as 9 dicas:

  • Cuidado com o excesso de informações: a internet é uma mão na roda na hora de conseguir informações; mas o excesso de notícias e as horas conectados podem causar preocupações e incertezas. Preste atenção nos gatilhos mentais; se isso lhe fizer mal, dê um tempo e foque atividades que lhe deem bem-estar. Compartilhe histórias positivas e filtre a quantidade e qualidade das informações.
  • Cuide da sua saúde física: procure manter a saúde do corpo com atividades físicas frequentes e uma alimentação equilibrada. Além disso, recomenda-se a prática de atividades relaxantes, como meditação, alongamento, ioga e etc.
  • Faça coisas que lhe trazem felicidade: que tal aproveitar o momento em casa para fazer tudo aquilo que a rotina agitada não lhe permite? Fazer um curso online, assistir aquela série, ler aquele livro que não tinha tempo, aprender uma nova receita, brinque com seus animais de estimação, faça neuróbicas, exercite seu cérebro… aproveite com qualidade o tempo que terá disponível.
  • Tenha resiliência: tente absorver os principais aprendizados da situação; seja realista e evite entrar em pânico. Pratique o autoconhecimento, descubra a melhor forma de passar por isso e lembre-se que não durará para sempre.
  • Coloque as coisas em ordem: sabe a arrumação do armário, dos arquivos do computador, das plantas da casa, dos e-mails não lidos – ações que são sempre deixadas para depois? Não deixe de fazer coisas que ocupem a sua mente e relaxam ao mesmo tempo.
  • Estabeleça uma rotina: com mais tempo livre em casa, é preciso ter disciplina para conseguir manter uma rotina. Tente realizar atividades em horários pré-estabelecidos e crie uma rotina de trabalho – seja no home office ou nos momentos de autocuidado. Isso lhe dará a sensação de organização e tranquilidade.
  • Mantenha o contato pessoal: converse com outras pessoas e interaja com aqueles que estão na sua casa – fale sobre seus sentimentos, sua rotina, seu estudo, seu trabalho. Não se isole!
  • Continue seu tratamento: não deixe de tomar suas medicações, caso esteja em tratamento médico e procure ajuda caso tenha complicações ou alterações de sintomas.
  • Procure ajuda profissional: se você perceber que está extremamente sobrecarregado, ansioso, medroso ou depressivo – procure ajuda especializada, como médicos, psiquiatras, psicólogos e o Centro de Valorização da Vida (188).

E não se esqueça: é temporário e é necessário para a saúde e bem-estar de toda a família. Quanto mais ficarmos tranquilos em casa, mais rápido esse momento passará!

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.