×

Publicidade

Coluna da Célia Lima

Consumo de álcool e câncer: nutricionista e educadora física Dani Borges explica a relação entre eles

Segundo a nutricionista, não existe dose segura para se consumir álcool, já que a substância destrói o DNA das células e muda o metabolismo hormonal, podendo resultar no câncer

Womans hand rejecting more alcohol from wine bottle in barv

Os malefícios do álcool no organismo humano são objeto de estudo da medicina há décadas. Mais recentemente, entidades de todo o mundo começaram a analisar sua relação com uma das doenças que mais mata atualmente: o câncer. Já é sabido que o consumo exagerado de bebidas alcoólicas pode desencadear a enfermidade em vários órgãos do sistema digestivo e em outros, além de provocar outras doenças como cirrose hepática, sobrecarga renal, etc.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), só no ano passado, o câncer de cólon e reto (que pode ser ocasionado pelo consumo exacerbado de álcool) foi o segundo mais registrado no país em homens e mulheres, 20.540 e 20.470 casos, respectivamente.

Continua após a Publicidade

Conforme explica a nutricionista e educadora física Dani Borges, a relação entre o consumo de álcool e a incidência desse tipo de câncer pode estar relacionado ao processo de absorção da substância pelo organismo.

“Ao ingerir álcool, o corpo começa a fazer a absorção cerca de 30 a 90 minutos depois. Do total consumido, 20% são absorvidos no estômago e 80% no intestino, mas claro, toda a substância é distribuída pelos tecidos e líquidos corporais”, afirma.

“Muita gente acredita que apenas o fígado atua nessa ingestão de álcool, porém, é um processo que envolve todo o corpo. O metabolismo acontece no fígado, por meio da enzima ADH, mas a liberação do álcool acontece também pelos rins e pulmões, por isso, no dia seguinte, ainda exalamos o odor etílico”, explica.

Álcool e tratamento

Segundo a nutricionista, o álcool destrói o DNA das células e muda o metabolismo hormonal, e isso pode resultar no câncer. “Quanto maior a quantidade consumida e frequência com que se bebe, maiores as chances de desenvolver esta ou outro tipo de enfermidade”, pontua.

“Para quem já está em tratamento contra a doença, é recomendado suspender o consumo, pois, o álcool, além de agredir diversos órgãos, ainda pode prejudicar o tratamento”, alerta.

Dose segura

Ainda de acordo a especialista, não existe dose segura para se consumir álcool, mas, com base na Organização Mundial de Saúde (OMS), a ingestão máxima permitida é de 30 gramas de álcool por dia.

“Isso equivale a 3 copos de chope, ou duas latas de cerveja, ou uma dose de whisky, ou duas taças de vinho. Se for beber, precisa escolher uma dessas opções, e, claro, intercalar com bastante água”, finaliza.

Sobre Dani Borges

Dani Borges é uma atleta Fitness WBFF PRO, nutricionista, modelo, health coach e educadora física.

Como influenciadora digital, tem mais de 415 mil seguidores e posta dicas de motivação, alimentação saudável, receitas e treinos.

Sua paixão pelo fitness surgiu na adolescência após ter tido um quadro de obesidade que a motivou a buscar uma mudança radical de hábitos. 

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.