×

Publicidade

Coluna da Célia Lima

Koringa Sustentável: novo clipe de MC Koringa é 100% sustentável. Entenda

"Pensando Nessa Raba", nova produção de Joker Beats com MC Koringa e Gabbi é inspirado no surrealismo e usou 100% de material reciclado nas filmagens

Joker Beats, alterego de MC Koringa, resolveu apostar em uma mistura inusitada para sua mais nova produção musical: unir o funk carioca com o surrealismo de Salvador Dali em mais um hit que promete, Pensando nessa Raba, que estreou dia 17 de janeiro no YouTube, com a participação da cantora Gabbi.

A música se mantém fiel ao estilo que consagrou MC Koringa como um dos maiores intérpretes e compositores deste gênero musical, o funk melody: “O funk é um estilo que exalta a dança, a sensualidade do corpo masculino e feminino, e exalta a alegria de curtir um baile com os amigos e conhecer pessoas novas. Eu procurei não abandonar minha característica musical que é fazer arranjos bem encaixados em uma cadência pra não perder a proposta do funk melody. Escolhi a Gabbi porque, olhando friamente, eu percebi que ela é uma artista que tem uma grande disposição de conquistar, de vencer no mundo da música, e naturalmente tem um talento notável. Eu pensei que seria muito bom poder fazermos um trabalho juntos e que seria mais uma artista que eu teria a oportunidade de lançar e contribuir com o crescimento da carreira”, ressalta.

Continua após a Publicidade

Pensando Nessa Raba

Koringa explica de onde veio a inspiração para compor a música nova: “nós temos visto que a preferencia nacional, a bunda, tem recebido diversos apelidos por aí. Antes era o popozão, depois virou rabetão, agora é raba, e assim vai mudando. Baseado nisso eu criei essa música, falando sobre isso”.

Ele também conta como surgiu a inspiração para o clipe, que mistura elementos surrealistas com danças que são características do funk: “quanto ao clipe, buscamos referencias do surrealismo. Conversando com o diretor do clipe, Bruno Nalbone, ele trouxe referências como Salvador Dali e assim tivemos a ideia de fazer algo com molduras vivas, onde as bailarinas saem dos quadros para dançar numa exposição de arte, e o Joker Beats seria o artista pintando estes quadros flutuantes, que estariam pairando no ar. O Marcelo Lopo cedeu os estudios da Som Livre e nós realizamos a gravação do clipe lá, em um estúdio maravilhoso”.

Arte e sustentabilidade

Dotado de consciência ecológica e pensando na sustentabilidade, Joker Beats resolveu somente usar materiais reciclados para a gravação do clipe: “todas as molduras usadas no clipe foram materiais reciclados, papelões que eu, minha esposa e toda a equipe envolvida buscou e trouxe para o trabalho que foi desenvolvido em conjunto com o artista plástico e designer Túlio Carvalho e deu nisso”, conta.

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.