×

Publicidade

Educação

15 estados vão aderir ao modelo de escolas cívico-militares, diz MEC

Na sexta-feira (4) começa a segunda etapa, quando municípios poderão demonstrar interesse em aderir ao programa

80% dos pais querem colocar seus filhos nas escolas cívico-militares, então, vamos começar com quem está mais disposto a implantar esse modelo”, disse Weintraub.

O MEC (Ministério da Educação) anunciou na manhã desta terça-feira (1) o primeiro balanço da implantação das escolas cívico-militares no país. Segundo o ministro Abraham Weintraub, 15 Estados aderiram nesta fase. De sexta-feira (4) até o dia 11 de outubro, o MEC abre para os municípios que demonstrarem interesse em aderir ao programa.

“A demanda é muito grande, vamos começar pelo pessoal que está com vontade de participar, não há necessidade de impor, uma pesquisa aponta que mais de 80% dos pais querem colocar seus filhos nas escolas cívico-militares, então, vamos começar com quem está mais disposto a implantar esse modelo”, disse Weintraub.

O programa é uma das bandeiras de campanha do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Segundo o secretário de Educação Básica, Janio Macêdo, “esse modelo de escolas já está implantado no país e tem dados bons resultados”, afirma. “Contribui para a melhoria da educação básica no país, mas não vamos investir em um modelo em detrimento de outro, a proposta é ampliar o ensino médio em tempo integral e ampliar a carga horária nos últimos anos do fundamental.”

Continua após a Publicidade

Escolas

O programa foi lançado pelo governo em setembro. Na primeira etapa, foi realizada uma consulta pública aos Estados. Segundo o ministro, neste balanço, todos os estados da região Norte, Centro Oeste e Sul aderiram. Na região Nordeste apenas o Ceará demonstrou interesse e no Sudeste, Minas Gerais.

O MEC (Ministério da Educação) pretende implementar 108 escolas cívico-militares até 2023. Essa é uma das ações previstas no Compromisso Nacional pela Educação Básica. “Nesta primeira etapa, a intenção é implementar ao menos duas por estado”, avalia Weintraub.

As escolas cívico-militares são instituições não militarizadas, mas com uma equipe de militares da reserva no papel de tutores. A meta, segundo o MEC,  é aumentar a média do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

 

 

 

Fonte:R7.com

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.