×

Publicidade

Política Nacional

Se houve irregularidade de minha parte, eu saio, diz Moro

Ao responder o senador Jaques Wagner (PT-BA), o ministro da Justiça afirma que sempre agiu com base na lei e de maneira imparcial

ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que sai do ministério se houver irregularida da parte dele. Ele participa nesta quarta-feira (19) da sessão da Constituição de Comissão, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, sobre as supostas mensagens trocadas com procuradores da Lava Jato quando ainda era juiz em Curitiba. O material foi revelado pelo site The Intercept Brasil.

A afirmação do ministro foi em resposta ao senador Jaques Wagner (PT-BA). Ele perguntou se Moro “pensa em se afastar do cargo para não prejudicar as investigações se ela for para a Polícia Federal”. “Se houve irregularidade de minha parte, eu saio. Mas não houve. Eu sempre agi na lei, de maneira imparcial”, repondeu Moro.

Continua após a Publicidade

“O ministro insiste em desualificar o site e chamá-lo de sensacionalista. O site já ganhou o ‘Oscar do jornalismo’ com a revelação dos ‘wiki leaks’. O combate à corrupção é pré-requisito para qualquer pessoa na vida pública. A melhor forma é responder o que está sendo revelado. Foi uma medida sensacionalista divulgar conversas grampeadas de Dilma? Colocar no pelourinho a dignidade de pessoas que deveria ser mantido em sigilo? Como no caso da Escola Base, por exemplo, que não tem nada a ver com Vossa Excelência”, perguntou Wagner.

Jaques Wagner havia insistido na pergunta: “Se isso se avoluma, vossa excelência entende que é de bom tom se afastar do cargo para permitir que a PF aja com absoluta tranquilidade”.

“No que se refere ao conteúdo, eu estou absolutamente convicto da correção das minhas ações como juiz e sei que se as minhas comunicações, com quem quer que seja, forem divulgadas sem adulteração e sem sensacionalismo, essa correção vai ser observada. Estou absolutamente tranquilo quanto a isso”, afirmou Moro.

“Se é esse o problema, o site que apresente tudo e a sociedade vai poder ver de pronto se houve alguma incorreção da minha parte. Eu não tenho nenhum apego pelo cargo em si. Vamos submeter isso ao escrutínio público e, se houver irregularidade de minha parte, eu saio. Mas não houve, porque eu sempre agi com base na lei e de maneira imparcial”, respondeu o ministro.

Moro disse estar absolutamente convicto de seuas ações como juiz. “Se minhas comunicações com quem quer que seja sejam divulgadas, essa correção vai ser observada. Que o site apresente tudo para a sociedade ver se houve alguma incorreção.”

A comissão é composta por 54 senadores – 27 titulares e 27 suplentes. A tendência é que a oposição tente politizar o debate, enquanto aliados do governo e do ministro devem focar no debate jurídico.

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.