×

Publicidade

São Luís

Edivaldo inaugura Unidade de Acolhimento para Mulheres em Situação de Rua

A Unidade é a primeira da rede municipal voltada para este público, equipamento soma-se à rede de assistência social implantada pelo prefeito Edivaldo na capital

Prefeito Edivaldo inaugura unidade de acolhimento para mulheres em situação de rua

O prefeito Edivaldo Holanda Junior inaugurou, nesta quinta-feira (22), a Unidade de Acolhimento para Mulheres em Situação de Rua – Elisângela Cardoso. Trata-se de mais um equipamento da assistência social da Prefeitura de São Luís voltado para o acolhimento e abrigo de mulheres em situação de vulnerabilidade social, sendo o primeiro voltado para esta parcela específica da população. Localizado no bairro Bequimão, a unidade receberá mulheres com vínculos familiares rompidos, em situação de rua, negligência ou abandono. A coordenação do local está a cargo da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas). O Instituto de Solidariedade e Inclusão Social (Solis) será parceiro no gerenciamento do espaço.

“É com muita alegria que entregamos este importante equipamento da área de Assistência Social, mais uma conquista da nossa gestão, mais um legado que iremos deixar para a São Luís. Em nossa rede de assistência social, já temos uma casa destinada a acolhida de homens em situação de rua, assim como dispomos de outras unidades com propósitos distintos, mas a conclusão desta unidade significa o atendimento de uma demanda importante do setor e, agora, podemos propiciar condições dignas para essas mulheres, muitas delas mães de família, para que possam encontrar além de um abrigo, condições de reconstruir as suas vidas”, disse o prefeito Edivaldo que estava acompanhado da primeira-dama, Camila Holanda, do titular da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Francisco Gonçalves; e da secretária da Semcas, Andréia Lauande, entre outras autoridades.

A

Continua após a Publicidade

Unidade de Acolhimento para Mulheres em Situação de Rua – Elisângela Cardoso, tem capacidade para acolher 25 mulheres na faixa etária dos 18 aos 59 anos. Serão pessoas que não dispõem de condições para permanecer na família, ou aquelas que se encontram com vínculos familiares fragilizados ou rompidos, em situações de negligência familiar ou institucional, pessoas em situação de rua e desabrigo por abandono, migração e ausência de residência ou pessoas em trânsito e sem condições de autocuidado.

A secretária da Semcas, Andréia Lauande, falou da importância dos investimentos feitos pela gestão do prefeito Edivaldo no setor de assistência social. “Iniciamos a nossa jornada com poucas unidades de acolhimento e, depois de alguns anos, aumentamos muito os equipamentos deste tipo. Sem dúvida, isto é um grande avanço na política de assistência social implantada pelo prefeito Edivaldo. A entrega desta unidade de acolhimento para mulheres representa o cumprimento de um compromisso do prefeito”, ressaltou.

O equipamento social conta com quatro suítes e três quartos. O espaço tem ainda cozinha, refeitório, varanda e uma sala de apoio que será usada pela coordenação. No local há ainda dispensa para o armazenamento de alimentos, banheiros adaptados, jardim, área de convivência e prática de atividades coletivas, área para equipe técnica, entre outros.

CUIDADO E ATENÇÃO

Para prestar atendimento às mulheres acolhidas, o espaço conta com uma equipe multiprofissional composta por assistentes sociais, psicólogos, técnicos de enfermagem, cuidadores sociais, entre outros. O abrigo segue ainda todas as regras de acessibilidade e conta com toda a estrutura necessária para receber as mulheres.

O secretário estadual Francisco Gonçalves, da Sedihpop, que na ocasião representou o Governo do Estado, frisou o cuidado da gestão do prefeito Edivaldo com as pessoas em situação de vulnerabilidade. “O prefeito Edivaldo está entregando uma unidade que oferece conforto, condições dignas e a sensação de acolhida a essas mulheres que estão em situação de risco social. Este equipamento tem algo que lembra muito a luta da Elisângela Cardoso em prol da causa social, que é o bem-estar e o amor ao próximo, na defesa dos mais necessitados e no respeito às pessoas”, destacou.

Compareceu ao evento Arnaldo Correia, irmão da homenageada, a ex-presidente da Fundação da Criança e do Adolescente do Maranhão (Funac), Elisângela Cardoso, falecida no ano passado vítima de câncer. Ela militava na área dos direitos humanos há mais de 20 anos. Ele falou do orgulho de ver o trabalho dela reconhecido. “É uma grande satisfação saber que a memória da luta da minha irmã está sendo preservada, por meio desta homenagem”, disse Arnaldo.

A presidente do Instituto Solidariedade e Inclusão Social (Solis), Ana Paula Nogueira, falou da expectativa de cuidar da nova unidade de assistência social de São Luís. “Toda a nossa equipe está contente e se sentindo realizada. Nossos objetivos sendo alcançados, cumpridos e, para que chegássemos a este ponto, foi muito importante a parceria com a Prefeitura, para que possamos levar adiante a gestão desta unidade”, afirmou Ana Nogueira.

Participaram ainda do evento o secretário municipal de Relações Parlamentares, Nonato Chocolate; representante da Coordenação da Mulher do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), Daniele Bitencourt; representantes do Momento População de Rua Silvana Ribeiro, Jéssica França, Célia Regina Aranha e Arivaldo Junior; presidente do Conselho Municipal da condição Feminina de São Luís, Sílvia Leite; presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Valdine Milhomem; entre outros.

MAIS UNIDADES

Além da Unidade de Acolhimento para Mulheres em Situação de Rua – Elisângela Cardoso, o prefeito Edivaldo inaugurou, no dia 8 de setembro último, o Abrigo de Longa Permanência para Pessoa Idosa. No local são acolhidos homens e mulheres acima de 60 anos que também se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Atualmente, a rede de assistência social da Prefeitura de São Luís é formada por 20 Centros de Referência de Assistência Social (Cras), cinco Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e 14 unidades de acolhimento.

Em 2014, São Luís possuía apenas 90 vagas de acolhimento. Recentemente, como resultado dos investimentos feitos pela gestão do prefeito Edivaldo na área de assistência social, já são 380 vagas.

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.